3 passos simples e seguros para você investir no Tesouro Direto


Quando se pensa em investimentos, é natural que venha em mente as quantias extremamente altas que aparecem em uma bolsa de valores que pouca gente entende como funciona.

Porém, não é necessário ter muito dinheiro sobrando para investir. Além disso, sempre é bom manter aquele dinheiro que sobrou no fim do mês rendendo, para que, em casos de necessidade, você não precise fazer um empréstimo ou apelar para um cheque especial, por exemplo.

Lembre-se: dinheiro parado é prejuízo!

Para esses casos, o melhor investimento a se fazer é no Tesouro Direto. Nele, o investidor compra títulos da dívida pública que serão pagos, depois, com a aplicação de juros.

Resumidamente, é como se o cidadão emprestasse dinheiro para o Estado, como se fosse um banco. 

É extremamente simples investir no Tesouro Direto e você pode fazer tudo sem sair de casa.

É necessário que você tenha uma conta aberta em uma corretora de valores, que pode ser feito na internet, e uma conta em um banco.

Aqui está o passo a passo de como investir no Tesouro Direto.

na imagem, vemos uma ilustração em fundo preto azulado de uma escada com moedas no topo.
Reprodução: iStock/Abril Branded Content/VOCÊ S/A

Passo 1- Defina seu objetivo

Existem vários tipos de investimento no Tesouro Direto e cada um deles possui uma liquidez, ou seja, a retirada do dinheiro, e rentabilidades diferentes. Por isso, é muito importante que o objetivo do investimento seja definido. 

Está em busca de uma reserva de emergência? Quer guardar dinheiro para sua aposentadoria? Deseja um investimento em renda fixa?

O seu objetivo vai impactar diretamente em como você vai investir no Tesouro Direto.

Passo 2 – Entenda como funciona a tabela

Quando se vai investir no Tesouro Direto, existe uma tabela que pode assustar, a primeira vista, cheia de siglas, números, palavras estranhas…

Mas não se desespere! É bem simples de entender. O principal é saber suas particularidades.

O Tesouro Selic é um investimento de rendimento e liquidez diários, ou seja, o valor é aumentado todos os dias e é possível retirar o dinheiro a qualquer hora.

É ideal para reservas de emergência e, apesar de render pouco, ainda rende mais do que a poupança.

O Tesouro IPCA+ é um investimento a longo prazo, que só pode ser retirado após o vencimento.

A sigla aponta que, além dos juros indicados na tabela, o seu dinheiro ainda será ajustado à inflação. Ou seja, se você investe em um IPCA+ que rende 5% ao ano e a inflação no período foi de 3%, no total, o seu dinheiro será acrescido em 8%.

O Tesouro Prefixado é o único que você sabe exatamente o quanto vai render após definido o prazo para retirada do valor investido.

Existem ainda os Tesouros com Juros Semestrais, que devolve a rentabilidade do investimento para sua conta a cada seis meses.

Passo 3 – Agende transferências de sua conta no banco para a corretora

Investimentos no Tesouro Direto sempre devem ser constantes, pois, apesar de extremamente seguros, rendem pouco, porém mais que a poupança. O ideal é que todo mês você aumente a quantia investida.

Agende no seu banco a transferência mensal para a corretora e, na sua corretora, agende sempre a compra mensal de mais títulos do Tesouro Direto, até para evitar que a primeira compra seja a última e você esqueça que aquele dinheiro existe.

O Tesouro não é um bom investimento se você pretende multiplicar o seu dinheiro rápido e está disposto a correr os riscos do mercado de ações.

Entretanto, é o melhor lugar para você deixar seu dinheiro rendendo, sem maiores preocupações.

Você pode gostar também:

  • Entenda o que são bitcoins e por que você deve investir nelas
  • Conheça o Debênture, investimento para quem diversificar a carteira

O post 3 passos simples e seguros para você investir no Tesouro Direto apareceu primeiro em Boas Notícias.